quinta-feira, 10 de maio de 2012

DO CLAUSTRO, dir.: Fernando Couto e Caio Cezar, em cartaz no Teatro do Sesi-Holcim (Belo Horizonte, MG)


Estreia “Do Claustro” em Belo Horizonte

Ontem a Mucury Cultural teve a honra de conferir a estreia do espetáculo Do Claustro dirigido por nossos grandes amigos, Fernando Couto e Caio Cezar, este que estreou também como diretor. O texto é de Ruy Jobim Neto, que estava lá curiosíssimo com o resultado. A curiosidade é porque o Fernando não permite que o autor participe da criação do espetáculo, e o Ruy viu o que nós vimos. Daqui a pouco voltemos aí.
No Teatro Sesi Holcim ontem estava reunida boa parte da elite do teatro de Minas Gerais, todos ansiosos pelo espetáculo que prometia, e cumpriu. Jornalistas, representantes da classe artística, produtores e outras pessoas foram achegando-se e o burburinho logo estava no ápice.
Para nossa surpresa, o Caio Cezar nos aparece com a camiseta da Mucury Cultural, fazendo nossa propaganda lá na capital das Minas, conversamos bastante sobre o espetáculo que estava por estrear e claro, das experiências dos Atores Associados nestas bandas mucuryanas.
Finalmente, pudemos entrar.
Para não falarem que não demos pistas, vai um pouco do que é o espetáculo:
Duas freiras clarissas, do Convento de Santa Clara do Desterro, na Bahia do séc. XVII, vivem uma emocionante história, num jogo de sedução, desejo e poder, cuja moeda de troca é a cumplicidade, Um hino ao amor e à liberdade (Fernando Couto).

Do claustro
é ambientada em 1692, em Salvador, Bahia. O cenário é uma cela individual do Convento de Santa Clara do Desterro. Naquele lugar, duas freiras clarissas vivem um jogo de entrega, sedução, desejo e poder cuja moeda de troca é a cumplicidade. O texto aposta em situações nas quais o sagrado e o profano se fundem, criando espécie de hino de amor à liberdade. Na trama, irmã Mariana, às portas da morte, tenta convencer de todas as formas irmã Cecília a cometer um ato ousado na esperança de salvar o homem por quem está apaixonada, um poeta e advogado, que está preso e ameaçado de degredo para a África (Estado de Minas).
Sobre o autor:
O teatrólogo e cartunista paulista Ruy Jobim Neto dedicou-se, nos últimos anos, a extensa pesquisa sobre o Brasil colônia, sobretudo o período próximo ao fim do Ciclo da Cana-de-açúcar e seus desdobramentos (Estado de Minas).
No final, a ovação foi mais que merecida! Numa disparada, o Ruy Jobim vai até Fernando e o abraça, em prantos! 
A peça além de sucesso, um grande espetáculo como já é corriqueiro na carreira do Fernando Couto e do novo grande diretor Caio Cezar.
As atrizes também foram fenomenais, dominaram rapidamente o nervosismo da estreia e nos conduziram às masmorras do mais obscuro de nossa capacidade humana.
Como vimos dizendo com muitas outras pessoas no facebbok: Vida Longa ao Do Claustro!
Novamente agradecemos ao Fernando Couto, ao Caio Cezar, ao Roberto Freitas, Ruy Jobim Neto e aos Atores Associados, a oportunidade e esperamos repeti-la infinitas vezes. Este é um reconhecimento do trabalho realizado por nossa equipe que não é grande, mas extremamente competente e comprometida com a arte, a cultura e este nosso Mucuri"!
E Do Claustro é imperdível!
Em breve também neste nosso Teófilo Otoni…
Quando? Quintas e sextas, às 20h; sábados, às 21h; domingos, às 19h. Até dia 13/05.
Quanto? Ingressos populares nos postos do SINPARC a R$12,00.
Na bilheteria R$30,00 e R$15,00
Duração: 60 minutos.
Classificação: 16 anos.
Onde? Rua Álvares Maciel, 59 – Santa Efigênia, Belo Horizonte.
Leia mais sobre o espetáculo:

Um comentário: